quinta-feira, 10 de abril de 2008

O Diabo mora nos detalhes.

No último texto, desenvolvi o que pode ser considerada a minha tese central neste blog, qual seja, a partidarização da mídia. Especificamente, no caso do dossiê que tenta incriminar Dilma Rousseff. Se eu precisasse escolher um texto que resumisse a proposta deste blog, aquele seria um forte candidato. No final, eu comentei que este posicionamento partidarizado, no caso da mídia de massa, pode mudar. Já me arrependi! De fato, acredito que o maior acesso de cidadãos a eletrodomésticos (como a TV) e a crescente popularidade de Lula podem provocar uma revisão dos postulados da mídia. Na verdade, é bem nítido que, por exemplo, o canal a cabo Globo News é muito mais anti-governista do que a Globo, emissora aberta. Mas, numa perspectiva mais aprofundada, a tendência para os veículos de mídia impressa é inversa. Os jornais e revistas já enfrentam uma intensa redução de público, por isso, vão ficando cada vez mais próximos de sua audiência potencial: camadas mais elitizadas e conservadoras da sociedade, as quais, em sua maioria, rejeitam o Governo Lula. Agora já foi, o final do texto vai ficar daquele jeito. Uma das características do blog é mesmo acompanhar as variações no pensamento do autor...

Hoje, eu relembro uma série de acontecimentos recentes que me fazem constatar que a mídia de massa vai continuar trabalhando incessantemente para inviabilizar esta alternativa política que não lhe agrada. Por exemplo, sobre a última pesquisa Ibope acerca da popularidade do presidente, os portais on-line UOL e G1 estampavam em suas páginas o seguinte: avaliação positiva de Lula atinge 58% [1]. Logo, alastraram-se pelas comunidades sobre política, no Orkut, links para a notícia. Alguns internautas alteravam a aprovação para 89%, alegando que é necessário incluir os que avaliam o Governo como “regular”. Na verdade, a avaliação positiva do Lula não é nem 58%, nem 89%, é 73%. Uma coisa é a avaliação do Governo, outra coisa diferente é a avaliação pessoal do presidente. Na pesquisa anterior, da Sensus, os sites deram destaque para a avaliação do presidente que foi 66,8%. Nesta nova pesquisa, do Ibope, este número chegou à casa dos 70%. Logo, foi mais conveniente destacar a aprovação do Governo, que também cresceu e está em 58%, mas é inferior ao desempenho pessoal de Lula. Mas, quem liga? Isto é apenas um “detalhe”.

Querem outro exemplo? No dia 18 de março, o Jornal da Globo fez uma reportagem sobre um imenso esquema de corrupção na prefeitura de Rosana, município do interior de São Paulo. Vários empresários e funcionários da prefeitura foram presos em flagrantes, existem gravações que comprovam todo o esquema [2]. A Globo omitiu o partido do prefeito Jurandir Pinheiro. Acho que eu nem preciso falar qual é, preciso? Agora, em toda e qualquer notícia de corrupção ou denúncia sobre o PT, uma das primeiras informações veiculadas é o partido dos envolvidos. Em outros momentos, é preciso ser mais enfático: para o Jornal Nacional, a cratera no metrô de São Paulo [3] foi causada por uma rocha que “ninguém sabia que existia”, como explicou reportagem do dia 27 último. Ou seja, José Serra não deve explicações, tadinho! Se ninguém sabia que existia, ninguém é responsável! Caso encerrado! Ninguém está dando muita bola também para o desabamento do viaduto na capital paulista [4]. O mesmo corpo mole de sempre com problemas que envolvem administrações de partidos da oposição. Com os acidentes dos aviões da GOL e da TAM, foi bem diferente.

Antes de qualquer relatório técnico conclusivo, o Governo já estava devidamente incriminado pelas mortes dos passageiros. No programa Saia Justa, da GNT (canal a cabo das organizações Globo), o acidente em congonhas era debatido com a presença do psicanalista e psiquiatra Jorge Forbes. O psiquiatra pediu a saída de Ministros do Governo, como Guido Mantega da Fazenda e Marta Suplicy do Turismo, por terem feito “declarações infelizes”. É preciso enfatizar: antes de qualquer investigação profissional. A apresentadora do programa, Mônica Waldvogel (que também apresenta telejornal na Globo News) lamentou não ter sido mais dura nas críticas ao Governo quando teve oportunidade. Este episódio do programa está postado na íntegra no youtube [5]. Dos mais recentes impropérios dos jornalistas, nenhum foi mais grave do que o de Josias de Souza, da Folha, e Christiane Samarco, do Estadão, no Comitê de Imprensa do dia 04 de abril [6]. Comitê de Imprensa é um programa semanal da TV Câmara com debates acerca da cobertura da grande mídia sobre temas atuais. Os dois jornalistas fizeram afirmações absurdas, na minha avaliação.

O dossiê, é claro, foi um dos temas deste último programa. Em um momento do debate, o apresentador põe em pauta o envolvimento do Senador Álvaro Dias com o caso (abaixo, depois dos links, postei um vídeo deste momento do programa). Para Josias, se um jornalista dá destaque à ligação da oposição com o dossiê estará “perdendo o fio condutor, o que é essencial”, que é o vazamento de informações sigilosas. Para Samarco, a mídia não pode “embarcar na canoa governista”. Engraçado, a jornalista do Estadão não vê nenhum problema em embarcar na canoa oposicionista. Mídia não tem que embarcar em canoa nenhuma, tem que mostrar os mais diversos pontos de vista, a despeito dos interesses de terceiros. Ora, se o crime é o vazamento das informações, e Álvaro Dias teve acesso ao documento antes dele ser veiculado na imprensa, de duas uma: ou o Senador tucano tem ligações com o responsável pelo vazamento, ou o responsável é ele próprio! Se o Senador teve o dossiê em mãos, antes da Veja, é porque alguém entregou. Como disseram no Senado, papel não voa! Mas, a mídia renega a relação entre os fatos. É a confirmação do endereço político nas investigações da imprensa!

Links:

[1] http://img529.imageshack.us/img529/6327/pesquisaibopenog1editadnf0.jpg

[2] http://200.213.164.130/site/nossaregiao-ver.php?codigo=8182

[3] http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI2713586-EI8221,00.html

[4] http://www.tudonahora.com.br/noticia.php?noticia=11300

[5] http://br.youtube.com/watch?v=zZ14SaUpa5s

[6]http://www.camara.gov.br/internet/tvcamara/default.asp?selecao=MAT&velocidade=100k&Materia=62892

Vídeo do Comitê de Imprensa:

video

8 comentários:

  1. Sua analise sobre a partidarização da midia esta correta em relação aos grandes grupos de comunicação. Acontece que o povo não vai mais na onda dos formadores de opinião. Esta é a diferença fundamental dos dias atuais, a net veio para mudar paradigmas.

    PS: Sugiro que além de comentar e pedir para outros leitores comentem seus post, você crie, troque links entre os blogs amigos. Você cria um link no seu blog para o blog de outro e vice-versa.

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito da postagem e vou criar um link no Blog do Briguilino. Parabéns pela analise. Ah, se prepare para brigar com o Laguardia, rss.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Renan.

    Ruan, também houve o caso da explosão de dois transformadores de usinas de retransmissão de energia na Grande SãO Paulo, cujo fato foi noticiado apenas como um acontecimento normal, como uma chuva forte ou um calor intenso, sem entrar em detalhes do porque do ocorrido.
    No site do paulo Henrique Amorim, um dos comentaristas, que diz entender sobre este assunto, disse que essa situação ocorreu provavelmente por um aumento da demanda de energia, relacionada também à falta de manutenção pelos donos da companhia (que por sinal, foi privatizada.

    ResponderExcluir
  4. É sempre assim: quando encontram indícios de corrupção no PT é noticiado "Prefeito do PT é preso". Mas quando é do DEM ou do PSDB, a notícia, quando não sai da primeira página e vira uma notinha, normalmente muda para "Prefeito é preso".

    A mídia usa a sujeira do PSDB e do DEM contra o Lula. Como ela só fala mal do PT, quando coloca a notícia do prefeito preso sem citar o partido tentar deixar subentendido de que isso é culpa do governo, tenta criar um sentimento de revolta. Tenta virar o feitiço contra o feiticeiro.

    Mas o feitiço vai virar mesmo quando mais gente com acesso a internet puder ler blogs como o seu, e como tantos outros. Esta será a próxima revolução!

    Veja também o meu blog:
    www.adrianomm.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia o seu blog, e concordo com a opinião do neuto jucá. Post mais comentários em outros blogs para tornar o seu mais conhecido e com isso, receber mais visitas dos que odeiam essa mídia fajuta que acredita que somos idiotas, imbecis e que engolimos suas manipulações criminosas que fazem afim de atingir o Governo. Não embarcam na canoa do Governo porque ha muito tempo estão instalados em camarotes e desfrutando das mordomias dos luxuosos transatlânticos que políticos da oposição e grupelhos que sempre exploraram a população desse País, lhes proporciona. Vergonhosa a frase dessa senhora. E o Josias fazendo malabarismo coma as palavras para incriminar o Governo? Continuam chamando de dossiê a organização de dados dos gastos como os cartões corporativos. Se não eram feitos na era de F H C é mais uma prova de que no seu desgoverno a bagunça era total. Vergonha, vergonha, vergonha. Gersier

    ResponderExcluir
  6. Meus caros

    Outra que deveria ser expulsa da mídia séria é a Dora Kramer do Estadão. No artigo de hoje domingo ela manipula tudo. Inventa conceitos e leis que não existem e cita o discurso do ministro Tarso Genro como um "habeas corpus" preventivo ao autor do "levantamento de dados" que a Casa Civil estava fazendo pra se defender da oposição. O governo tem o direito sim de fazer o que quiser com os dados de outras pessoas pra se defender de ataques da oposição. Chega a dizer que os dados levantados são propriedade do sociedade e não do governo. Onde essa senhora está com a cabeça. Ela mora em outro país. Aqui no Brasil, todo mundo faz isso. Por que o Lula não pode fazer? Privacidade é coisa de americano. Aqui no Brasil essa lei não pegou. Mais um exemplo da isenção dos jornalistas da PIG.

    Jose Eduardo Ribamar

    ResponderExcluir
  7. Se a discussao so se "tornou" semantica quando aconteceu isso e aquilo, entao porque os jornalistas nao esclarecem pra populacao se Alvaro Dias teve aas maos partes do "banco de dados" ou se teve aas maos um "dossie de chantagem"? Eh so porque a media mentiu a respeito? Mas todo mundo ja sabe disso, porque eles continuam enrustidos? "Nao se pode valorizar mais o fato do senador alvaro ter tido acesso do que o fato do dossie existir", nos diz a reporter aos 11:15 segundos. Em outras palavras, querem que passe batido, insinuado mas nao dito claramente, que ele teve acesso a um dossie de chantagem" e nao a um "banco de dados". Mas por que razao?!

    Alvaro Dias teve aas maos, e vazou para a Veja, um DOSSIE DE CHANTAGEM, sem nada falar aa CPI das Pretas.

    As contradicoes sao tantas que nao da pra contar!

    ResponderExcluir
  8. Essa história de Dossiê é o assunto mais desinteressante que eu já encontrei na política. Na verdade, até teria curiosidade de ver seu conteúdo, mas essa discussão de quem é o responsavel por ele é de fuder.

    Quanto a posição antigovernista da mídia, acho que está diminuindo por uma série de fatores, inclusive a perda de audiência que isso gera diante de tanta aprovação do governo. Mas, é evidente que a mídia espera um governo o mais direitista possível e por isso joga suas fichas no PSDB.

    ResponderExcluir